Porque o lugar de mulher é na ciência?

No dia 11 de fevereiro, celebramos o Dia Internacional de Mulheres e Meninas na Ciência. Mas será que sabemos realmente a relevância deste marco nos nossos dias atuais?

A resposta para essa pergunta está na reflexão de cada um. Devemos pensar sobre o papel das mulheres na sociedade, tanto nos séculos passados quanto atualmente, e nos perguntar: os direitos entre o gênero feminino e masculino são iguais?

Não, não são!

Por isso, a UNESCO criou a celebração do dia 11 de fevereiro como uma lembrança para que lutemos pela igualdade social e econômica entre os gêneros, uma luta que, aliás, é de todos. Essa lembrança é perpetuada no passado, presente e futuro para que nos fazer entender que o lugar de mulheres e meninas é em qualquer lugar, inclusive na ciência!

Ao voltarmos um pouco no tempo, nos séculos XVIII e XVIV, vimos a revolução francesa e industrial mudar os paradigmas da sociedade. Vemos, nessa época,  o surgimento dos primeiros pensamentos feministas, descritos em várias obras literárias, como as de Mary Wortley Montagu (1689-1762) e Mary Wollstonecraft (1759-1797).

Enquanto a história era contada, os pensamentos foram se concretizando e o mundo evoluía. E um grande catalisador responsável por isso era e é a ciência. E ao falarmos de ciência, não podemos não deixar de Marie Curie.

Mas afinal, quem foi MarieSkłodowska Curie?

Marie foi uma cientista e física polonesa, naturalizada francesa, que conduziu pesquisas pioneiras em todo o mundo no ramo da radioatividade. Foi a primeira mulher a ser laureada com um Prêmio Nobel e a primeira pessoa e única mulher a ganhar o prêmio duas vezes.

Marie, com toda a notoriedade de conduzir estudos que mudariam o patamar do saber científico, participou da Conferência de Solvay, juntamente com  todos os cientistas mais consagrados da época. Nomes como os dos físicos quânticos Max Planck, Albert Einstein e Erwin Schrödinger ocupavam na foto da época, como visto na Imagem 1, junto com Marie Curie, os lugares mais célebres entre os cientistas. Aliás, a única mulher cientista presente era a própria Marie.

Por tudo isso, ela é, sem dúvidas, a grande cientista de todos os tempos. Ela é o exemplo que todas nós devemos seguir e no qual as meninas devem se inspirar. Marie venceu barreiras que já estavam estabelecidas para ela, mas não se deixou abater. Pelo contrário, o fato de ela estar sentada junto com todos aqueles homens importantíssimos mostra que o lugar de meninas e mulheres é realmente onde elas quiserem. E mais: se esse lugar for na ciência, então será de notória consagração o sucesso compartilhado entre todas as mulheres que lutaram e lutam pelos direitos igualitários entre homens e mulheres.

E é por isso que comemoramos o dia 11 de fevereiro, o dia em que mulheres e meninas se inspiram para seguir os passos vitoriosos de Marie Curie na ciência. É o dia para tornar realidade o sonho de ser uma mulher nas ciências, ou seja, uma cientista!

Escrito por
Paula Soares, Coordenadora de Projetos – Rever Juntos