Empresas levam diversidade do discurso para a prática

No Dia Internacional de Luta contra a Homofobia, empresas comoCarrefour, PepsiCo, Grupo GPA e Sodexo, que já possuem políticas internasdirecionadas à diversidade, mostram medidas responsáveis que dão respaldo àforça de trabalho de negros, mulheres, idosos e transexuais.

O portal Meio&Mensagem mostra os cases dessas grandes corporações que sabem muito bem aliar o discurso da diversidade à prática, levando esse tema cada vez mais frequente para a sua comunicação. Que tal usarmos esses cases como benchmarking?

Carrefour:

Responsável por promover palestras, fóruns e materiais de auxílio sobre o tema, o Carrefour é exemplo quando o assunto é política interna em prol da diversidade. Criada em 2013, a Plataforma Valorização da Diversidade compreende questões relacionadas com orientação sexual, raça, religião, idade, gênero, aparência e deficiência física. Além de estabelecer um código de ética do Carrefour e trazer uma cartilha com o mesmo nome da plataforma – que ensina como solucionar possíveis situações de conflito –, a iniciativa foi um passo inicial para a criação do Comitê de Valorização da Diversidade.

PepsiCo:

Por meio da área Diversidade & Engajamento, que surgiu em 2016, a companhia busca incentivar uma cultura organizacional mais plural, desenvolvendo profissionalmente seus funcionários nesse sentido. Neste ano, a PepsiCo fará a segunda etapa do programa Inspira, que começou no ano passado e busca levar colaboradoras líderes aos Estados Unidos para participarem de um treinamento. Além disso, a empresa promove a ação Ilustres Mulheres, que objetiva contar nas redes sociais as histórias profissionais de funcionárias das diversas unidades de negócio da empresa.

Grupo GPA

Dona de marcas como Pão de Açúcar, Extra, Assaí, Casas Bahia e Ponto Frio, o Grupo GPA lançou, em 2015, sua carta de compromisso com a diversidade. Entre as iniciativas do grupo, é possível encontrar a inclusão social e a qualificação profissional de pessoas com mais de 55 anos – resultando em cerca de 3.400 funcionários da terceira idade trabalhando nas redes Pão de Açúcar e Extra –, e a integração de pessoas com deficiência, em parceria com a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae), totalizando a contratação de 1.500 profissionais com algum tipo de necessidade especial para atuar nas  lojas do Grupo.

Além disso, o programa pela Equidade de Gêneros, criado em 2014 para analisar os indicadores sobre a presença feminina na companhia, promove uma série de ações que incentivam a participação de mulheres em cargos de liderança da empresa. A apresentação de, pelo menos, uma mulher entre os candidatos finalistas de posições gerenciais, em processos seletivos, está entre as medidas adotadas pelo Grupo GPA.

Sodexo

Com 115 participantes no Brasil e 850 no mundo, a Sodexo criou um grupo composto por LGBTs e não LGBTs para discutir o universo de lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e transgêneros. Além disso, pilares como a inclusão de pessoas com necessidades especiais e adoção de parâmetros para nivelamento de gerações, gênero, cultura e origem permeiam a empresa. “O maior diferencial de uma empresa que tem uma área dedicada à diversidade a outra que não tem é o engajamento interno, de modo que o colaborador consiga trazer para o ambiente de trabalho aquilo que ele realmente é”, afirma Aline Tieppo, gerente de comunicação interna e diversidade da Sodexo Benefícios e Incentivos.

Leia a matéria completa no portal Meio&Mensagem: https://www.meioemensagem.com.br/home/marketing/2017/04/12/empresas-levam-diversidade-do-discurso-para-a-pratica.html

Fonte: Meio Mensagem

Escrito por
Aldy Coelho, jornalista – Qualicom